quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Sujeitos e tipos de sujeito 6º ano

https://rachacuca.com.br/quiz/85867/tipos-de-sujeito-i/
 Sujeito simples
O sujeito simples é caracterizado por possuir apenas un núcleo, sendo este a ideia principal da oração. Como por exemplo:
Paulo caiu a noite.
Como sujeito simples e núcleo, temos Paulo.
Sujeito Composto
O sujeito é denominado composto, quando possui mais de um núcleo na oração, como por exemplo:Pedro e Paulo são grandes amigos.
Sujeito composto = Pedro e Paulo, dois núcleos.
Sujeito Oculto
O sujeito oculto normalmente confunde um pouco, pois é notório perceber que ele existe, mas não está explícito dentro da oração, o que acaba dificultando e dando o nome de oculto. Exemplo:
Cheguei atrasada para a palestra.
A terminação em ei, indica primeira pessoa, ou seja, EU, portanto notamos que a oração se refere a um sujeito oculto.
Sujeito Indeterminado Indica quando um sujeito não está expresso e não conseguimos reconhecê-lo por nenhum componente da oração. Existem então, duas regras para reconhecer os casos.
  • Quando o verbo está na terceira pessoa do singular acompanhado do pronome “se”. Exemplo:
Precisa-se de balconista.
  • Quando o verbo está na terceira pessoa do plural. Exemplo: 
  • Falaram de você ontem a noite.

Sujeito inexistente ou oração sem sujeito

Quando não existe na oração um elemento ao qual o predicado está se referindo. Exemplo: 

Fazia muito sol na Bahia.   

Há muita violência no mundo.

Atividade:
 1. “Anoitecia silenciosamente.” Nesta oração temos:
a) Sujeito simples
b) Oração sem sujeito.
c) Sujeito indeterminado.
d) Sujeito oculto.

2. “Será muito cedo?” “Como está calor!” Quais são os sujeitos destas orações?
a) Orações sem sujeito.
b) cedo / calor.
c) muito / como.
d) nenhuma das anteriores.

3. Defina o tipo de sujeito desta oração: “Fazia um calor infernal no sertão.”
a) Sujeito indeterminado
b) Oração sem sujeito.
c) Sujeito simples
d) Sujeito oculto.

4. “Nunca ninguém acariciou uma cabeça de galinha.” Qual é o sujeito e o tipo de sujeito desta oração?
a) Nunca ninguém / composto.
b) Ninguém / simples.
c) Ninguém /indeterminado.
d) Nunca / simples.


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Sujeito e predicado 7º anos
https://rachacuca.com.br/quiz/58100/sujeito-e-predicado-i/
https://rachacuca.com.br/quiz/134306/sujeito-e-predicado-ii/
Advérbios 6º ano
http://silvanafachinetti.blogspot.com.br/2013/11/adverbio-exercicios-6-o_9.html
https://rachacuca.com.br/palavras/caca-palavras/adjetivos-facil/

Orações subordinadas Adverbiais Professora Lúcia 9° ano

Período composto por subordinação

No período composto por subordinação sempre aparecem dois tipos de oração: oração principal e oração subordinada.
O período:
Todos esperam sua volta
É um período simples, pois apresenta uma única oração. Nele podemos identificar:
Todos (suj.) esperam (v.t.dir.) sua volta.(obj. direto)
Se transformarmos o período simples acima em um período composto, teremos:
Todos esperam que você volte.
1ª oração: Todos esperam
2ª oração: que você volte
Nesse período, a 1ª oração apresenta o sujeito todos e o verbo transitivo direto esperam, mas não apresenta o objeto direto de esperam. Por isso, a 2ª oração é que tem de funcionar como objeto direto do verbo da 1ª oração.
Verificamos, então, que:
I. a 1ª oração não exerce, no período acima, nenhuma função sintática. Por esse motivo ela é chamada de oração principal.
II. a 2ª oração depende da 1ª, serve de termo (objeto direto) da 1ª e completa-lhe o sentido. Por esse motivo, a 2ª oração é chamada de oração subordinada.
Resumindo:
Oração principal: é um tipo de oração que no período não exerce nenhuma função sintática e tem associada a si uma oração subordinada.
Oração subordinada: é toda oração que se associa a uma oração principal e exerce uma função sintática (sujeito, objeto, adjunto adverbial etc.) em relação à oração principal.
As orações subordinadas adverbiais são dos seguintes tipos: causais, comparativas, consecutivas, concessivas, condicionais, conformativas, finais, proporcionais e temporais.
1ª. Causais: são aquelas que modificam a oração principal apresentando uma circunstância de causa, isto é, respondem à pergunta "por quê?" feita à oração principal. Exemplos:
Carlos saiu porque precisava.
Amadeu não saiu porque estava frio.
Nilo Lusa deixou o magistério porquanto sua saúde era precária.
São conjunções causais: porque, que, porquanto, visto que, por isso que, como, visto como, uma vez que, já que, pois que.
2ª. Comparativas: são aquelas que correspondem ao segundo termo de uma comparação. Exemplos:
Marisa é tão boa digitadora quanto Teresa
"A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o ferro"
São conjunções comparativas: como, mais do que, assim como, bem como, que nem (como), tanto quanto.
3ª. Consecutivas: são aquelas que são introduzidas por um termo intensivo que vem em seguida à oração principal, acrescentando-lhe idéias e explicações, ou completando-a, ou tirando uma conclusão. Exemplos:
Otávio bebia tanto que morreu afogado no seu próprio vômito.
Faça seu trabalho de tal modo que não venha a lastimar-se do resultado que dele possa advir.
São conjunções consecutivas: (tanto) que, (tão) que, (de tal forma) que.
4ª. Concessivas: são aquelas que se caracterizam pela idéia de concessão que transmitem à oração principal. Exemplos:
Ainda que faça frio, o jogo realizará.
Cristiano foi ao parque, embora estivesse chovendo.
Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
São conjunções concessivas: embora, posto que, se bem que, ainda que, sempre que, desde que, conquanto, mesmo que, por pouco que, por muito que.
5ª. Condicionais: são aquelas que se caracterizam por transmitir idéias de condição à oração principal. Exemplos:
Se o filme for ruim, sairei do cinema.
Caso tivesse realizado as obras necessárias, não teria perdido a eleição.
São conjunções condicionais: se, salvo se, senão, caso, desde que, exceto se, contanto que, a menos que, sem que, uma vez que, sempre que.
6ª. Conformativas: são aquelas que indicam o modo como ocorreu a ação expressa na oração principal. Exemplos:
Conforme as últimas notícias, o mundo corre risco de uma guerra generalizada.
Realizei seus desejos como você me havia sugerido.
Escrevi carta burocrática, segundo o estilo oficial estabelece.
7ª. Finais: são aquelas que indicam o fim ou finalidade à oração principal. Exemplos:
É preciso que haja políticos de concepções liberais extremadas para que os conservadores não reduzam os homens a títeres.
Antônio Carlos falou baixinho a fim de que não fosse percebida sua revolta.
8ª. Proporcionais: são aquelas que transmitem idéia de proporcionalidade à idéia principal. Exemplos:
À proporção que o tempo passa, a agonia recrudesce.
O barulho de algazarra aumenta à medida que se aproxima das crianças.
São conjunções subordinativas proporcionais: à medida que, à proporção que, ao passo que.
9ª. Temporais: são aquelas que indicam relação de tempo naquilo que se refere à ação expressa pela oração principal. Exemplos:
Enquanto leio poesia, recupero o equilíbrio emocional.
Cada vez que eu penso, te sinto, te vejo...
São conjunções subordinadas temporais: quando, enquanto, agora que, logo que, desde que, assim que, tanto que, apenas, antes que, até que, sempre que, depois que, cada vez que.

Atividade:
1) Escreva no espaço o tipo de relação existente entre a oração adverbial destacada e a
oração principal:
a) “Mas o chá saiu tão bom, que os parentes vivem me pedindo um pouco.” (Carlos
Drummond de Andrade) _____________________________________________________
b) “(...) resolveu não dormir, porque valia a pena esperar de pé.” (Aluísio Azeredo)
_________________________________________________________________________
c) “O povo não gosta de assassinos, embora inveje os valentes.” (Carlos Drummond
de Andrade) _________________________________________________________________
d) “Um amigo pinto trouxe um cavalete e tintas para que os pintores amigos
possam pintar.” (Rubem Braga) ____________________________________________________
e) Se queres a paz, prepara a guerra. __________________________________________
f) Quando chegou Domingo, chegou também a preguiça (...).”(Carlos Drummond de
Andrade) _________________________________________________________________
g) “Como ele próprio diz com certa melancolia, levou uma vida medíocre.” (Folha
de S.Paulo) ___________________________________________________________________
2. CLASSIFIQUE AS ORAÇÕES DESTACADAS:
a. “Ficou ali , até que as sombras foram tomando conta das coisas”.
b. À proporção que a escavação descia, a unidade ia-se acabando aos poucos.
c. Como não sabia falar direito, ia balbuciando expressões complicadas.
d. Como estava triste, isolou-se do grupo.
e. Tudo saiu conforme havíamos previsto.
f. O lavrador volta para casa quando o sol se põe.
g. Mentiram para mim, como pude constatar.
h. Semeie hoje para que colha bons frutos no amanhã .
3. “Hoje, a dependência operacional está reduzida, uma vez que o Brasil adquiriu auto-suficiência na produção de bens como papel-imprensa (...)” A oração grifada no período acima tem valor:
a) condicional;
b) conclusivo;
c) concessivo;
d) conformativo;
e) causal.
4. No período - “E quanto mais andava mais tinha vontade”, ocorre idéia de proporção.
Assinale a opção em que tal idéia NÃO ocorre:
a) quanto mais leio este autor menos o entendo;
b) choveu tanto, que não pudemos sair;
c) à medida que corria o ano, o nosso trabalho era maior;
d) quanto menos vontade, mais negligência;
e) quanto mais se lê, mais se aprende

Período composto por subordinação 8° ano

http://atividadesdeportugueseliteratura.blogspot.com.br/2016/01/exercicios-de-revisao-sobre-periodo.html

Chamamos de período composto, quando uma oração, possui duas ou ainda mais orações, ou seja, mais de uma ação verbal. Estas podem ser compostas por coordenação ou por subordinação.
Já o período composto por subordinação apresenta dois tipos de oração:
I. Oração principal: rege-se por si, não exerce função sintática em relação à subordinada.
II. Oração subordinada: exerce função sintática em relação à principal, é oração dependente dessa.



1. Releia.
I. Nada é mais triste.
II. Entre aqui e saia da chuva.
> As orações são frases que possuem verbos. Considerando que cada verbo (ou locução verbal) corresponde a uma oração, quantas orações há em cada uma dessas frases?
2. Observe e responda as questões. 
I. Entre aqui e saia da chuva!
II. Acho que eu estava indo bem...
a) Quantos verbos ou locuções verbais há em cada oração?
b) Esses períodos são compostos ou simples?
VAMOS LEMBRAR
> Quando temos dois ou mais verbos usados lado a lado para indicar um único acontecimento, damos o nome de locução verbal.
> Há dois tipos de período composto: período composto por coordenação e período composto por subordinação.
> Resumidamente, as orações coordenadas são independentes, têm sentido completo, enquanto as orações subordinadas não têm sentido completo, pois cumprem o papel de um termo da oração principal e, portanto, dependem de outras orações para formar períodos com sentido.
a) Na fala de Calvin no primeiro quadrinho, há quantos períodos? Eles são simples ou compostos?
b) Quantas orações há na fala dita por Calvin no último quadrinho? Explique sua resposta.
c) Leia as frases a seguir, identifique os períodos simples, compostos por coordenação ou por subordinação e justifique sua resposta.
> Produção bate recorde, mas IBGE vê ritmo mais moderado na indústria.
> [...] Narizinho lembrou-se de que havia deixado a boneca debaixo da jabuticabeira.
> Tubulação rompe e causa alagamento na Avenida Assis Brasil, em Porto Alegre.
> Para os babilônios e egípcios, os céus eram mágicos, a morada dos deuses, ponte entre o humano e o divino.
4. Leia as frases abaixo e assinale (V) para as afirmações verdadeiras e (F) para as afirmações falsas.
> O mundo estava cheio de deuses no início da história da nossa espécie e, para muitas pessoas, assim continua.
> Os sintomas e as sensações de muitos personagens indicam que Shakespeare tinha uma noção particularmente aguçada do relacionamento do relacionamento entre mente e corpo.
a) No primeiro período, há duas orações coordenadas, porque não há dependência sintática entre elas. (V/F)
b) No primeiro período, há três orações: duas coordenadas e uma subordinada. (V/F)
c) No segundo, há apenas uma oração, pois não há vírgulas. (V/F)
d) No segundo há duas orações, pois há dois verbos. (V/F)
e) No segundo, a oração "que Shakespeare tinha uma noção particularmente aguçada do relacionamento entre mente e corpo" completa o sentido do verbo indicar ("Os sintomas e as sensações de muitos personagens indicam" alguma coisa). (V/F)

3. Leia a tira a seguir para responder as questões.